Certamente!

Paulo Querido. Na Internet desde 1989

6 de julho de 2010

O conto da Portugal Telecom e dos espanhóis explicado às crianças

Papá, papá, explica-me lá! O que é aquilo da Portugal Telecom e dos espanhóis?

Filho, é assim. Estás a ver o Forlán? A PT é como ele: um atleta de alta competição. Durante uns anos, pacientes, os treinadores ensinaram-no a correr mais e jogar melhor. Prepararam-no. Escolheram as melhores sopas e vitaminas para reforçar os músculos das pernas dele. Treinaram-no.

Como está bem de ver, o atleta ganhou umas provas nacionais. Depois, ganhou uma provas internacionais.

Um dia, um clube maior ofereceu dinheiro para comprar uma perna do atleta. Os sócios do clube, que tinham adiantado dinheiro para comprar as sopas e as vitaminas, puseram-se em bicos de pés e disseram: vendam, que nós queremos recuperar o dinheiro de uma só vez, em vez de continuar a recuperar aos poucos em cada vitória. Dava-nos aqui jeito para pagar uns cartões de crédito e tal.

Os treinadores, como calculas, ficaram um bocado para o triste. Achavam que os sócios queriam vitórias e glórias por muitos anos, e que tinham cartões de crédito dourados. E na volta saíram-lhes uns duques com cartões de plástico.

Mas, pai, vender uma perna?

Sim, filho. Vender uma perna. Ficar só com metade da empresa a funcionar é como perder uma perna: anda-se menos, joga-se mais devagar. O adversário tem mais hipóteses de nos marcar golo. Quando a Telefónica vencer este jogo, a Portugal Telecom fica a jogar com uma perna só e eles a correr mais depressa. Mas tem calma, que a história é mais gira. Adivinha lá o que é que os sócios disseram aos adeptos do clube, para pressionar os treinadores através deles e dos jornais.

Sei lá, pai! O que foi?

Disseram que não fazia mal vender uma perna, com o dinheiro que sobrasse de pagarem os cartões de crédito, compravam uma perna postiça!

Ena, pai, grande treta, LOL!