Certamente!

Paulo Querido. Na Internet desde 1989

31 de março de 2008

Patrões de imprensa desorientados

ipjornal.jpgOs patrões de Imprensa andam desorientados. Procuram medidas, mas algumas delas são tão obviamente erradas que se tornam inexplicáveis. O que leva pessoas bem informadas, que se espera escutarem consultores pagos a peso de ouro, a levantar uma acção contra quem lhes vai dando o tráfego que ainda lhes resta num novo paradigma económico a que resistem?

A mim a coisa parece-me uma capitulação. Pelo pior dos lados: a esmola. Do meu local de observação a fotografia não é grande coisa: vejo patrões de imprensa a estenderem a mão à Google, Inc, pedinchando uma migalha da receita de publicidade tendo em conta que os conteúdos “são” deles. É bem provável que a Google dê a esmola — eu pelo menos fá-lo-ia. Pois enquanto o pobre se remedeia e lamuria pelas escadas da igreja, o rico faz um vistaço na aldeia e reforça a sua posição — e fica mais rico.

É uma opção de negócio como outra qualquer e não a discuto — digamos apenas que sou muito céptico quanto aos resultados.

Mas psso estar enganado na análise. Talvez a Associação Portuguesa de Imprensa me queira explicar? Vamos aguardar pela resposta…

Entretanto, deixo à APImprensa, e aos seus mais de 400 associados, duas dicas — extensíveis aos colegas espanhóis da Associação de Editores de Diários Espanhóis (AEDE):

  1. Consultem as estatísticas de acesso dos vossos sites, há parceiros que valem a pena e outros que deviam ser ponderados
  2. Vejam neste exemplo (de que meto abaixo uma imagem) quem são os verdadeiros predadores dos vossos ricos conteúdos. Vejam bem quem mete anúncios por cima dos vossos conteúdos (e se alguém tiver uma palavra melhor que roubo para descrever isto, faça favor, a caixa de comentários é vossa)

ipjornal.jpg