Certamente!

Paulo Querido. Na Internet desde 1989

29 de novembro de 2008

Pessoal e transmissível e… imperdível

Na sequência da troca de comentários com Diogo Vasconcelos neste pequeno post sobre os think tanks do PSD, acabei a ouvir a entrevista que deu ao Carlos Vaz Marques, na antena da TSF, no início de Novembro, antes do congresso da “sua” APDC.

O Diogo merece ser ouvido. Mais que isso, é imperdível. Ouçam-no sobre a Internet, as redes sociais, o presidente-wiki (Obama), a importância da energia e do verde, a importância da livre circulação da informação. A importância do acesso, dos homens e da sua capacidade de resolverem as encruzilhadas. Como a crise financeira.

Pessoalmente, fiquei grato pela resposta sobre The Cult of the Amateur, de Andrew Keen. Carlos Vaz Marques parecia deslumbrado com as teses de Keen e à terceira o Diogo lá deixou o politicamente correcto e descascou o livro. E também pela visão sem talas dos desafios da cultura wiki, open source, reticular — e nisso vai mais longe que outros intelectuais afectos ao PSD que, ao enfrentar o desiquilíbrio das relações de poder motivado por exemplo pela Wikipedia, não conseguem sair dos espartilhos ideológicos e classistas em que se formaram, indecisos quanto à força natural da autoridade do conhecimento.