Certamente!

Paulo Querido. Na Internet desde 1989

23 de março de 2008

Quando houver estatísticas sérias em Portugal…

Quando houver estatísticas sérias em Portugal… vou divertir-me um bocado a ver as reacções e justificações.

Até lá, quem quiser saber algo para além dos “resultados controlados” e inferidos da Marktest e dos press-releases, basta ler as próprias estatísticas. Quem tem o Analytics pode facilmente comprovar quem lhe envia tráfego. Quem tem o Sitemeter também. Comparem os números com outros autores curiosos. Depois, é pensar.

Esta semana o Certamente! publicará dois artigos, um na edição contínua, outra na edição semanal (subscrição gratuita por e-mail), com dois pequenos contributos para a compreensão das recentes apostas do Sapo, a maior marca portuguesa na Internet. São naturalmente leituras discutíveis a partir dos dados públicos que se podem analisar e sei que as reacções foram encomendadas antecipadamente aos batedores do costume. Encolho os ombros: a discordância de alguns não é razão para me calar.

Já na segunda-feira, republico aqui o artigo publicado esta semana no Expresso Multimedia: explicações para a queda do Sapo no ranking da Internet.

Na sexta-feira, em estreia na newsletter semanal e ainda sem título, um artigo sobre a fraquíssima presença dos principais títulos portugueses de Imprensa, rádio e televisão na web, desde a 1.0 aos nossos dias, o que explicará parcialmente — não é intenção aprofundar esse lado — as suas audiências, sejam grandes ou pequenas.

Até lá, fica o quadro das quotas da Google nos mercados mundiais de pesquisa (a pesquisa é a grande montra em que, na web, colocamos os nossos produtos à vista e é responsável pela maior parte da leitura)