Certamente!

Paulo Querido. Na Internet desde 1989

17 de setembro de 2008

Tiro no porta-aviões liberal

Sem vaselina nem paninhos quentes: o liberalismo económico é tão (ou mais) utópico como o anarquismo. Sem um papá a vir a correr salvar os meninos quando o recreio dá para o torto, ninguém quer realmente brincar ao monopólio real.

Os acontecimentos turbulentos dos últimos meses no sistema financeiro americano (que ainda condiciona o mundial, mas não por muito mais tempo) não significam o fim do capitalismo: os vigilantes estados não deixam. Mas não tenhamos dúvidas: são um tiro no porta aviões liberal que pretende convencer-nos que o mundo navega as falsas calmarias do “mercado” auto-regulado.