Certamente!

Paulo Querido. Na Internet desde 1989

26 de março de 2008

3 ideias para o Público melhorar o tracking dos blogues

ppublico.jpgO Público noticiou as reacções positivas da blogosfera à sua medida para, finalmente, manter o registo dos links para cada notícia sua — o tracking, usando uma das mais antigas tecnologias que acompanha a publicação pessoal na Internet.

Como fui citado nessa notícia (embora sem link… uma prática que os media portugueses mantém incompreensivelmente, indo contra todas as regras e boas práticas do jornalismo online), decidi retribuir com 3 ideias para o Público melhorar o registo dos blogues que dão atenção às suas notícias.

  1. Exigir à empresa contratada um serviço decente. Eu sei que o Público ainda agora começou com isto, mas a tecnologia associada aos pingbacks está madura. Não há explicações para as falhas verificadas nos primeiros dias e que fizeram diversas vítimas, incluindo o editor do Público online :( Ainda hojer recebi “queixas” de blogues cujos pings ao Twingly não estão a ser aceites.

    Publicar o critério de ordenação do Twingly também é uma necessidade.

    Não descobri na página do Twingly um local para apresentar problemas. Não basta dizer: “se não pingou, espere um tempo, ou repita aqui”.

  2. Dar atenção ao fenómeno de parasitismo. Tendo em conta os atrasos e os erros, nesta altura todos os links ajudam a um site de main stream media português, bem sei. Mas ainda assim: há links que são produto de oportunismo parasítico, isto é, a única razão de serem feitos é a de aparecerem na lista do Público, de forma a proporcionarem tráfego de volta. O spaming de blogues é uma praga relativamente controlada, vamos ver até que ponto o Twingly — nome do serviço que o Público contratou — é capaz de manter as listas isentas de parasitas.
  3. Publicar resultados de data mining. Uma lista dos artigos que registam mais links é útil, tão ou mais útil que as mais lidas, comentadas e enviadas. Um top de sempre também tem interesse noticioso, mas a informação por períodos (sugiro semana e mês) é de maior riqueza.