Certamente!

Paulo Querido. Na Internet desde 1989

18 de março de 2008

A morte de Arthur C. Clarke: anatomia de um post

arthurcclarketwitter.jpgCometi a proeza de repetir (por deformação profissional, escrevi “dar” mas logo substitui) a notícia da morte de Arthur C. Clarke dentro da mesma hora que os primeiros dois órgãos de comunicação social portugueses.

E antes da blogosfera lusófona, e também dentro da mesma hora que os mais rápidos bloggers americanos.

Não há aqui nada de espantoso nem procuro medalha (não há medalha numa notícia replicada — contrariamente ao que muitos bloggers de repetição costumam espumar). Na verdade, pretendo somente relevar um aspecto do uso do Twitter. Foi através do meu Twitter que soube da morte de Clarke. Recorrendo à memória e à Wikipedia (detalhe do Rendezvous com Rama ir a filme), publiquei um post em menos de 20 minutos.

O Twitter é (entre milhares de outras funções) a rádio planetária em directo. Inestimável para um jornalista.

Decididamente, tenho de lhe prestar mais atenção!

Act: Nos blogues, o João “deu” antes de mim! Arthur C. Clarke