Certamente!

Paulo Querido. Na Internet desde 1989

1 de dezembro de 2009

As redes sociais e as reacções dos grupos de media

… sou aluna do 3.º ano da licenciatura de Ciências da Comunicação na FCSH [...] Gostaria de saber a sua opinião sobre a evolução das redes sociais na internet, a afectação dos mass media face a essa mesma evolução e o que pensa concretamente de uma das mais recentes plataformas da Google…O Google Fast Flip.

As redes sociais evoluem em função do tipo de utilização que lhes damos, por um lado, e dos objectivos estratégicos das empresas, por outro. Penso que crescentemente cumprem o papel que era da televisão: são o meio do entretenimento e do consumo de lazer. Mas também estão a substituir a consola de jogos.

Os mass media convivem mal com um meio que desconhecem e que decidiram eleger como inimigo a abater, antes mesmo de compreender a evolução. Estão, sistematicamente, a dar tiros nos alvos errados. A nivelação por baixo do jornalismo, bem como dos conteúdos em geral, só vai apressar o fim do negócio — ainda que seja uma atitude justificável financeiramente, para alguns: explorar a actividade o mais possível, até ao tutano, enquanto dura. A insistência na preservação do modelo de negócio anterior à custa do modelo emergente está agora a passar à fase de ameaça sobre as empresas tecnológicas, deixando antever a fase seguinte, de pressão sobre os governos e parlamentos, não sendo de excluir a chantagem.

Sejamos realistas: os grupos de media tudo farão para preservar o seu negócio; não têm nenhuma razão para se comportarem de outra forma.

O Google Fast Flip é um brinquedo gráfico. Serviu para a Google obter mais alguma atenção. Mas não passará disso.

Leiam também o Manifesto Internet, que diz em traços gerais o que é o jornalismo na rede, hoje e no futuro próximo.