Certamente!

Paulo Querido. Na Internet desde 1989

1 de junho de 2009

Dossiê Eleições, do Público: jornalismo inédito em Portugal

dossie-eleicoes-publico

Não se tinha ainda feito uma cobertura assim. O dossiê Eleições 2009 do Público online constitui uma aposta ousada, até porque faz jornalismo inédito em Portugal. Juntamos gráficos dinâmicos à cobertura integral do noticiário tanto do Público como dos outros órgãos de comunicação social relevantes, passando pela blogosfera, pelo Twitter e pelo Flickr, sem esquecer uma zona de comentários própria. Uma operação online sem paralelo cobre os meios tradicionais e os social media, fornecendo um quadro alargado das perspectivas tanto dos jornalistas como dos políticos e equipas envolvidas nas três campanhas, integrando também o público com voz activa na Internet.

Eis uma apresentação do que já se apresenta nas três divisões do micro-site em http://eleicoes2009.publico.pt: do Público, da web e dos leitores:

A actualização dos dados é feita permanentemente: diversos infobots recolhem sem parar a informação publicada ou partilhada; scripts avaliam e juntam peças diversas, tomando decisões em função do contexto ou de palavras-chave; de 5 em 5 minutos o site é refeito de cima a baixo — durante a noite esta rotina passa para intervalos de 10 minutos, mas nas vésperas e nos dias das eleições o intervalo desaparecerá, sendo a informação publicada em tempo praticamente real.

Para cada uma destas zonas de cobertura há uma sub-página de arquivo.

De diferentes técnicas e conceitos emergentes no jornalismo em rede, recorremos ao crowdsourcing (interpretar as interacções de pessoas e agentes como forma de hierarquizar informação), ao jornalista-programador, ao link journalism, à ligação entre profissionais e amadores (Pro-Am), ao data mining e data visualization, à agregação.

O dossiê vai evoluir constantemente ao longo dos sete meses de duração da maratona eleitoral deste ano.

O micro-site do Público online é o corolário do dossiê, reunindo toda a informação e apresentando-a na sua máxima expressão, mas o dossiê pode ser acompanhado pelos leitores também via RSS e no Twitter, estando previstas versões para mobile, Friendfeed e Facebook, isto para já ;)

A terminar: a maior parte do software é feito à medida para esta iniciativa. O conceito partiu da observação de diversas coberturas online das últimas presidenciais americanas, tanto nos jornais como em iniciativas de empreendedores, e foi maturado em Fevereiro e Março últimos, depois do Público ter acolhido a prova de conceito.

Por me facultarem o privilégio do acesso a esta experiência em tempos difíceis para os jornais, agradeço ao António Granado, primeiro interlocutor no Público e primeiro entusiasta desta experiência tão inédita quanto urgente no jornalismo português; e ao José Manuel Fernandes, que além de aprovar o orçamento ;) se predispôs a participar activamente. Também na lista dos agradecimentos, mais informalmente, um abraço para o Luciano Alvarez, que em curtos diálogos no Twitter me transmitiu um pedacinho da energia entusiasmante que se costuma encontrar nas Redacções, e de que os colaboradres externos sentem por vezes a falta; e um beijo para a minha mulher, Ana Roque, cúmplice do entusiasmo e da energia, pela paciência e pelo empenho.

Veja em http://eleicoes2009.publico.pt o dossiê, ou siga pelo Twitter a conta @eleicoes_09