Certamente!

Paulo Querido. Na Internet desde 1989

12 de janeiro de 2012

Impala fecha revista Focus. Que jornal se seguirá? Quantos jornalistas foram já despedidos?

ATUALIZAÇÃO: O Alex Gamela fez o mapa. Pelo que passa a estar aqui em destaque. Boa, Alex!

Para os registos: o ano de 2012 começa com o desaparecimento anunciado de uma revista. A Impala disse hoje aos trabalhadores que vai fechar a Focus (notícia no Jornal de Negócios).

Tanto num almoço como num encontro numa redação de Lisboa, com pessoas diferentes, disse hoje — antes deste anúncio — que esperava pelo fecho de algumas publicações em papel este ano. Penso que um dos diários nacionais, ou com pretensão ao estatuto, não chegará ao fim do ano. E uma das publicações semanais também. Bem, essa já está, infelizmente não tive de esperar muito para ver a previsão confirmada.

Como quase sempre acontece, o que sucede à imprensa americana acaba por acontecer na Europa. A vaga de desemprego nos jornalistas (e profissões associadas aos jornais e televisões) acompanha a falta de receitas e o fim do papel. Na Europa apenas com um pequeno atraso.

Em Espanha o desemprego dos jornalistas já tem medida. “El Observatorio de la Asociación de la Prensa de Madrid (APM) para el seguimiento de la crisis lleva contabilizados 2.918 afectados en el sector periodístico madrileño desde mediados de 2008 hasta finales de 2011. En concreto, 2.663 despidos, 107 prejubilaciones y 148 reubicaciones en otros puestos. En la segunda mitad de 2011, se han eliminado 212 empleos periodísticos en Madrid. Y las expectativas para el primer trimestre de 2012 son muy negativas: tan solo entre las divisiones de radio y de televisión del Grupo Prisa se perderán cerca de 1.000 puestos de trabajo más.” (notícia na Asociación de la Prensa de Madrid com mais elementos).

Está na altura de em Portugal se fazer a contabilidade. Nos últimos 3 anos foram despedidos centenas de trabalhadores e fecharam algumas publicações. Talvez o Sindicato dos Jornalistas, em jeito de folga das lições doutrinárias e dos repúdios, pudesse aqui comprovar a sua utilidade? A menos que eu não tenha visto bem, a última informação numérica sobre desemprego publicada pelo Sindicato, acessível num recôndito PDF com a “informação sindical de 2011″ publicado há um ano, reporta ao ano de 2010, com 209 dependentes (28 dos quais da Impala) da Caixa dos Jornalistas e 28 despedidos por empresas que despediram pelo menos 5 jornalistas.

Ou, na ausência de um serviço de informação decente sobre este tema quente, escaldante, a ferver, super-interessante, os históricos proponentes da Ordem dos Jornalistas podiam aproveitar para mostrar o que pode uma Ordem dar à classe que o Sindicato não dê e fazer o tracking do desemprego no setor. Nos EUA uma jornalista consegue fazer um bom tracking, talvez o exemplo estimule algum camarada: Paper Cuts.