Certamente!

Paulo Querido. Na Internet desde 1989

2 de setembro de 2008

Porquenotecallas.com doado à Caritas

O folhetim mundialmente conhecido por ¿Por qué no te callas? conheceu há poucos dias mais um capítulo, desta vez discreto. O domínio porquenotecallas.com, que havia sido registado no mesmo dia em que o Rei Juan Carlos I de Espanha proferiu a célebre frase mandando calar o Presidente da Venezuela Hugo Chávez, foi doado a uma organização humanitária da Igreja Católica.

[Nota: republicação para o arquivo pessoal da versão publicada no Expresso no dia 29 de Agosto. ]

O domínio havia sido registado por dois anos no dia 10 de Novembro de 2007. No dia 20 de Agosto o registo sofreu uma mudança e nesse mesmo dia passou a apontar para o domínio caritas.es — a homepage da Caritas espanhola.

Registado para aproveitar o sucesso mundial em que se tornou aquele histórico momento da cimeira Ibero-Americana, o domínio começou por vender toques de telemóvel com a frase ¿Por qué no te callas? tirada das gravações que as televisões, rádios e blogs republicaram até à exaustão.

Desconhece-se o volume do negócio gerado, mas o domínio chegou a ser leiloado na eBay, tendo atingido os 4.600 dólares — nada mau para um investimento de… 10 dólares.

O domínio virou também case-study para as pessoas que negoceiam em propriedade Internet. Serve de exemplo para a escolha dos dois momentos cruciais para o negócio: o momento de comprar um domínio, aproveitando um instante como o que Juan Carlos proporcionou, e o de saber vender, antes do desinteresse popular — ou da intervenção de alguma entidade — lhe roubar a maior parte do inchaço especulativo.

O desinteresse demorou algum tempo a chegar. Dez meses volvidos ainda se pode escutar, aqui e ali, a voz do rei. A cache do Google contem, à hora em que investigo, ainda a página antiga. E a ficha do incidente na Wikipedia de língua inglesa continua (escrevo às 02:13 de sexta, 29 de Agosto) sem reportar a mudança.

A ficha contém informação curiosa. Relativa à importância histórica da frase, eventualmente exagerada na altura. Porém, fixa admiravelmente o seu carácter popular. Até um programa de televisão intitulado “Por que no te callas” teve lugar na Argentina.