Certamente!

Paulo Querido. Na Internet desde 1989

23 de março de 2012

Recado para os camaradas e até colegas da Imprensa, rádio e televisão

O meu ponto é que a agregação de links é a mais extraordinária coisa que jamais aconteceu aos editores. Está a criar mais exposição e mais atividade em torno dos seus produtos do que qualquer outra coisa jamais inventada.

Por outro lado, a agregação de conteúdos está a destruir a Internet. Absolutamente. É uma das principais causas para a situação desesperada que temos hoje, em que levar as pessoas a pagar por conteúdo é quase impossível.

Mas a indústria mediática está repetidamente a confundir as duas, insiste ativamente na agregação de conteúdo enquanto tenta proibir a agregação de links. Está a proteger os maus e a combater os bons.

Thomas Baekal, How Publishers Are Missing The Point About Aggregation, sublinhados meus.

Traduzo, subscrevo e retransmito. Se for preciso, também abro cabeças a martelo para lá enfiar a frase — mediante uma módica quantia, claro. Ide ler o resto, que é muito bom. E não, não é de borla. Embora a publicação me faculte a possibilidade de colocar um link que evitaria aos meus leitores a paywall para esse artigo, desta vez não o faço. O que é original e bom, paga-se. Enquanto não aprendermos essas lição, não seremos capazes de a ensinar aos leitores, como tanto gostaríamos.