Certamente!

Paulo Querido. Na Internet desde 1989

27 de agosto de 2008

Ubiquity: descoberta propagada pelo Twitter (ou a febre da novidade)

Hoje estalou uma febre mundial no Twitter a que Portugal também não escapou. Já ontem se tinham sentido alguns sinais de que os sintomas iam piorar. Epidémica e cruel, atacou com força e a confusão instalou-se! Até se viu a bonita e algo saudosa “fail whale mai’los seus passarinhos“, a tal que de tanto aparecer já se tornou num objecto de culto a roçar o “hype“! Não sei se também deu a febre na baleia, mas desconfio que até poderá ter sido isso…

De manhã houve sinais de que muita gente tinha sonhado, ou até que não conseguiu dormir, com o agente provocador da dita febre:

Tiago Rodrigues trodrigues @f i’m trying to develop a command for ping.fm, but i’m running into some api issues

De manhã a coisa aparentava estar mais calma, mas notou-se que a tendência era piorar:

Pedro Machado Santa pedrosanta Sure Ubiquity got potential. So far I’m loving it. :)

Mas o que aconteceu depois do almoço, já com 10% dos utilizadores do Twitter a despertos dos seus serenos sonos, foi o descalabro!

Houve o agnosticismo habitual:

Celso Pinto cpinto ubiquity is a bit stupid, as is. “schedule meeting with jon stewart tomorrow at 14 NY time” doesn’t work

A resposta dos ateus:

Raul Pereira raul_pereira @cpinto Indeed, I tried: «Date with Cherlize Theron» and it didn’t work either! :(

E depois a febre instalou-se, mas em bom, e não vale a pena resistir. É que, meus amigos, o Ubiquity pode ser realmente o salto em frente para a Web e a machadada final no Internet Explorer, se a Microsoft não correr a tempo para o autocarro.

Dentro em pouco – com a ajuda da Santa Google -, podemos estar a navegar com comandos verbais com base neste conceito. Sei que já existem aplicações do género para pessoas de mobilidade reduzida ou com necessidades especiais na forma como se relacionam com as máquinas, mas isto é outra coisa que nasceu: é o mashup total da informação, a organização do caos que é a Web, a personalização dos comandos que usamos para fazer amor com a Web e finalmente atingir o seu ponto G. Quando as religiões acabarem, dentro de dois séculos, mais ou menos, o pessoal vai lembrar-se deste mês de Agosto: «Ao 7º dia, um grupo mundial de geeks e pessoal que bebe café às migalhas criou o Ubiquity e viu que isso era bom!». Posso até estar enganado, mas Cavaco nunca admitiu que estava e o país está hoje como está.

Deixo-vos com um twitt final bem expressivo:

Tiago wiifyPR @alexgamela isto é como uma nova net!! se me habituo depois já não consigo mexer nos outros PC’s!!!

Agora vou festejar porque este foi um dia maravilhoso para quem gosta de Internet.

(Guest-post de Raul P., do ainda em fase beta Libro primo)