Certamente!

Paulo Querido. Na Internet desde 1989

6 de maio de 2006

A propósito do congresso do CDS-PP

As empresas privadas sempre foram muito mais eficientes que o Estado. E aquilo que aprenderam a fazer de forma mais eficiente foi roubar o Estado” (procura-se o autor, citado por Paulo Caetano em comentário neste espaço.)

Talvez não haja uma ligação directa entre a frase e o congresso como o título sugere. Admito. De visita aos sogros vi cinco minutos, talvez nem tanto, de imagens do (bocejo) directo do Congresso e a paisagem humana do CDS-PP já não evoca tanto os testa-de-ferro do capital bem vestidos. É um partido em proletarização — o que eventualmente explica a fuga da ideologia, que não tem onde se agarrar, e o emagrecimento eleitoral.

Mas que a frase é lapidar, é. Não a aceitar é não querer mudar as regras. Negá-la é enfiar o garruço liberal (os criados graves do capitalismo). Pensar nela é… bem, é o que eu faço.