Certamente!

Paulo Querido. Na Internet desde 1989

17 de novembro de 2004

Adolescentes retardados

Fui aos cigarros. É nas tabacarias e nas filas de supermercado que me inteiro sobre o famoso mundo das pessoas famosas, lendo as capas das famosas revistas [sou daqueles leitores compulsivos, leio tudo o que esteja à frente, até a literatura inclusa nos medicamentos]. Fulano tem a namorada à espera e anda com outra. A ex-namorada do outro conta as mágoas. Uma tia qualquer (que por acaso até marchava) continua a ser apresentada como a ex-namorada de um governante qualquer, sei lá. O namorado de beltrana está não sei onde a fazer algo. Até a filha de alguém, que já debutou nas colunas, tem um namoro. Nem os jogadores de futebol casados aparecem: só os que têm namorada. Ou não têm — servindo as revistas como anúncio.

Limpo as lentes. Há assim tanta revista para adolescentes? Constato que não é das lentes. É a imprensa côr de rosa. De gente crescida para gente crescida: saiba tudo sobre quem namora quem. Vivo num país de adolescentes retardados. Por mim está tudo bem: Tia, bute lá a casa mostrar-te a colecção de fotografias dos meus sobrinhos?