Certamente!

Paulo Querido. Na Internet desde 1989

12 de julho de 2006

Ainda as medições

Deixei um comentário a um post de Mark Devlin sobre o mito da Alexa enquanto instrumento de medição de popularidade (The Alexa Popularity Myth).

Trata-se de um texto pertinente numa altura em que continuo a aperfeiçoar uma metodologia para apurar a realidade sobre a leitura dos blogs e websites — antes que cheguem os ditadores das medições com “contadores” fechados e não controlados por entidades independentes, que vestem os números como lhes aprouver.

Parêntesis: será possível este blog ter um décimo das páginas vistas mensais do Expresso online? É mais provável ter menos de um centésimo e estarmos perante um problema nos métodos de contagem. Digo eu. Ou da respectiva interpretação. Está tudo por fazer.

De qualquer forma, o Alexa tem um problema prévio até à discussão a que alude Devlin: tirando algumas excepções (não-documentadas) não distingue subdomínios de domínios. Por exemplo, seja o Expresso, a Visão, a Bola ou o Cotonete, o rank do Alexa é sempre o do Clix, nâo distingue os canais. Os blogs do Blogspot estão entre as excepções, mas segundo percebi nem todos e desconheço se existe um critério.

Agora, o meu comentário (com os inevitáveis erros em Inglês) que aguarda autorização para ser publicado. Recomendo a leitura do post de Devlin.

Mark, you’re right about Alexa: techies, specially old ones, and geeks have the alexa’s bars and so on installed and commum people doesn’t. I figured it out comparing two blogs, mine (Awstats says 109.055 pages in June, Sitemeter says 25.000) and another one which doesn’t have counters (the reason I compare via Alexa). The other has lower links (Google and Technorati) and lower everything you can measure, except Alexa’s numbers.

Why?

Because the other blog is a tech’s blog, with an audience of techs and nerds and wannabees, and mine is a “regular audience’s” blog, that’s the anwser I finally figured out remembering the good old days I discovered Alexa (I’m a journalist and I write about technology for a decade and a half). Nobody I know uses Alexa — except, of course, a couple of techies, one of them since I know him.

But I think it occurs a similar process with Websearch. First: it is much more popular (look all those ad, cable and gambling sites in top 50!) than the “regular audience” of blogs, information websites and modern (2.0) entertainment sites like YouTube.

Second: it is very parcial, I suspect nobody outside Norh America (USA and Canada) uses Websearch bar.

In Europe, were I live and work, people dislike services like websearch toolbar.

Really, we all are trying to figure out how to measure the impact, popularity, audience and all. I think that until the discovery of a magical tool (eheheh!) we must use several methods and compare the results. It’s not perfect, but it is better than believe a single source.