Certamente!

Paulo Querido. Na Internet desde 1989

24 de dezembro de 2007

Areia nos olhos

A putativa ida de Miguel Cadilhe para o BCP (um delírio de Menezes como bem lembra Eduardo Pitta), as manobras de António Mexia para o mesmo banco, a ida dos (perdoem-me o arcaísmo) boys Armando Vara e Santos Ferreira para o BCP e os recados dos “accionistas anónimos” (LOL) têm sido apontados com “perigosos” exemplos da infiltração do Estado em assuntos privados.

Análise infantil? Sim — nalguns casos é patente. Mas a bojarda aproxima-se mais da clássica areia para os olhos. As “movimentações” e os movimentos provam precisamente o contrário: o capital está cada vez mais infiltrado no aparelho do Estado, por via do informal bloco central.

Percebe-se porquê, de resto. Não deixam de ser portugueses no seu melhor só por terem dinheiro.