Certamente!

Paulo Querido. Na Internet desde 1989

4 de março de 2005

Blogue instantâneo!

«Até dá gosto!» – comenta a Ana aqui atrás, enquanto arruma os CDs. E dá mesmo, eu ainda nem tinha reparado. Dá (outra vez) gosto meter um post aqui. Até parece o weblog.com.pt de há ano e meio, quando ainda estava instalado na minha própria máquina (sol.querido.org), partilhando recursos com mais uma dezena de domínios e uma tonelada diária de correio electrónico. Mas eram uma centena, os blogues, nesses tempos. E tudo corria rápido.

Em Dezembro de 2003 começaram problemas de resposta. Em Fevereiro de 2004 coloquei uma máquina independente só para o weblog.com.pt. Durou menos de um ano, tal foi o crescimento. Afinal, o weblog.com.pt era símbolo de qualidade e quase dois milhares de bloggers quiseram experimentar. Dezembro de 2004 foi o mês da queda. Até inícios de Março a qualidade de serviço decaiu continuamente — e lá se estava a ir a minha reputação… para gáudio daquela fracção de gente que não morre de amores por mim ;)

A migração para dois novos servidores foi difícil. Imaginem arquitectar uma plataforma com duas máquinas (graças à Chip 7, a quem tenho uma dívida de gratidão; o pagamento em banners e patrocínios é contratual, claro, falo de uma dívida de gratidão por se terem interessado pelo projecto; e graças a três amigos que contribuiram com algum dinheiro — muito obrigado, rapazes), duas máquinas a servir os mesmos conteúdos. Imaginem passar os conteúdos estáticos (as páginas e imagens e etc), cerca de 10 Gigabytes, e dinâmicos (as bases de dados com toda a informação), mais 1 Gigabyte. Uma dor de cabeça.

Não resultou à primeira. Resultou à segunda. E esta tarde era o dia do grande teste de carga. Só vos digo: a plataforma pasou com distinção.

Foi uma semana levada da breca. Cheguei a desabafar aqui a minha fúria. Mas consegui chegar ao fim vitorioso. Graças a duas pessoas.

Uma é o Frederico, o “mágico” das maluquices tecnológicas que permitem a rapidez com que este post vai entrar no sistema e as manhas de balanceamento e de redundância, que permitem atirar uma máquina abaixo sem que o serviço seja afectado. Obrigado pá. Agora é afinações — e não te esqueças de passar pela caixa no fim do mês!

A outra é a “minha” Ana. Ter alguém do nosso lado, permanentemente, é um regalo. Transmite força e confiança. Obrigado meu amor.