Certamente!

Paulo Querido. Na Internet desde 1989

27 de abril de 2005

Bloguismo pago? Carta ao José Pimentel Teixeira

Caro jpt: estás no teu direito de achar um perfeito disparate isto de serviços e conteúdos pagos. E de fazer humor com isso ;) Também ri com essa dos brasileiros, LOL!

Ao contrário de ti não acho que o futuro dos blogues passe por aqui. Ao contrário de ti, penso que o serviço de conteúdos e serviços pagos irá dar jeito a alguma gente com genialidade que pode, assim, ter uma forma de obter recompensa directa por algum do seu trabalho. Será uma pequena parcela de um todo imensamente mais vasto.

Espantar-te-ias se eu te contasse quantos bloggers já me perguntaram se não haveria forma de obterem receitas com o seu trabalho; nem todos estão nisto por puro prazer, alguns gostam de, de permeio com a escrita de puro prazer, produzir textos com outro alcance.

Pessoalmente tenciono retomar as experiências de conteúdos pagos no meu blogue. Já a tive antes, não correu nem bem nem mal, mas as ferramentas eram más. Isso não significa que o meu blogue se torne num negócio; ele será o que sempre foi, parte da minha memória em formato digital partilhável. Se lhe adicionar uma “montra” com produtos meus de baixo pagamento, não vejo onde isso seja um problema, ou sequer uma “desvirtuação” dos blogues.

Nos EUA existem já milhares de pequenos e médios produtores de conteúdos (não gosto do termo, mas pronto), desde bandas desenhadas em episódios a fotografia, infografia, música e video com formas de pagamento similares, próprias para transacções de baixo valor e adaptadas a este meio específico que é a Internet. Vendem e – o que te parecerá mais espantoso! – há quem lhes compre! (Para um entre vários exemplos, segue isto: Bitpass.)

A única novidade aqui é arranjar uma ferramenta que permite estender a possibilidade de ter uma montra com produtos vendáveis a mais gente; nos sistemas actuais é necessário possuir algum tipo de acesso a um servidor e um background técnico mínimo para os activar. Na solução que busco nada disso é preciso – e estou certo que alguns bloggers gostarão da ideia.

Alguns, uma minoria, e não certamente tu, ok. Da mesma forma que ninguém te obriga a pagar para lro Expresso ou o Público online, também não serás obrigado a comprar conteúdos em blogues. Há sempre alternativas grátis, certo?

Um abraço.