Certamente!

Paulo Querido. Na Internet desde 1989

9 de setembro de 2005

Caro J.P. da C: Nicotinell é a resposta às tuas preces!

O João Pedro da Costa perguntou-me, em comentário à minha auto-nota intitulada agora lembrei-me, se tinha recorrido «a algum médico / fármaco / terapia / reza / cadeado / etc.? Por favor, partilha tudo com um desgraçado que já tentou deixar de fumar três vezes sem sucesso nas últimas três semanas. NOTA: não utilizar o sintagma «força de vontade» na tua resposta, pf. ;) ».

Pois, caro amigo. A resposta para as tua preces é

nicotinell.jpg

Não precisei de <omitido a pedido do cliente> pois nem mesmo eu poderia recorrer a algo que não tenho! No seu lugar usei como (navalha de ponta e) mola a náusea e o cansaço de fumador acumuladas ao longo de décadas. Eu queria mesmo deixar de fumar. A minha filha pedia-me insistentemente há anos, eu prometi-lhe para final do ano passado, não cumprir uma promessa à minha filha estava a dar comigo em doido, na nossa casa de cima não se fuma, quis também despoluir a nossa casa de baixo por causa da garota — mas isto são detalhes, adendas apenas — ou um afiador da ponta da mola, se me faço entender.

Importante, fundamental para a prossecução dos objectivos, o Nicotinell serve um propósito apenas, o resto ou queres ou tás quilhado (a minha mulher não gosta que eu use fodido no blogue, desculpa amigo portuense!). O propósito é dar-nos um empurrão tirando do corpo a parte do vício relativa à nicotina, e que é MUITO forte, tão forte quanto negligenciada pelos dandys que querem deixar de fumar, como tu. Eu não cheguei ao fim da terceira embalagem, poderei oferecer-ta — mas é a mais leve e no teu caso recomendo uma terapia de choque com drogas pesadas: Nicotinell 1. O Nicotinell é um bom truque. Há aí uns caramelos que anunciam taxas de sucesso de 90%, mas eu cá sou da geração que não gosta de injecções atrás da orelha, ou nas redondezas pelo menos.

PS: charros só vale se não misturares tabaco. O produto, bem como <omitido a pedido do cliente> ou o seu sucedâneo, como foi o meu caso, não afectará o gosto pelo THC nem pelo cervejamio (só comprovei no segundo caso). Não sei como é com a coca (onde isso já vai) nem com o cavalo (nunca andei) nem com o pastilhame (deixei-me disso na Expo) ou o LSD (que abandonei ainda na década de 70), mas presumo que seja melhor evitares sair à noite, digamos depois das 2 da manhã, durante o tempo do tratamento, mais o dobro just in case.