Certamente!

Paulo Querido. Na Internet desde 1989

13 de dezembro de 2007

Continuando nos números: 13.976

13.976 é um grande número. Um número respeitável. Se o quiserem ler de outra forma, 46×300 (arredondado). 46 livros por dia, é o número de novos títulos surgidos em Portugal em 2007. O que quer que se esteja a passar no mercado editorial, não tem a ver nem com menor dinâmica de publicação, nem com falta de autores e obras. Nem com a Internet e o digital, desculpas para as “crises” de outros sectores económicos decorrentes da criatividade artística.

Talvez tenha a ver com o contrário.

E vendem-se? — perguntará de seguida o leitor.

Quem sabe? Talvez sim, talvez não, isto é, depende, tem dias, ao que parece. “Não há estatísticas, não há termos de comparação, não há ferramentas de análise”, recorda muito a propósito o José Mário Silva no fresquíssimo Bibliotecário de Babel.

“E enquanto continuarmos assim, é difícil olhar para este sector com outra atitude que não seja: 1) de dúvida; 2) de desconfiança; 3) de dúvida e de desconfiança”.

Sim. Ainda se fosse só nos livros… Grande parte das actividades económicas privadas em Portugal sofre do mesmo mal, a informação sobre elas é um buraco negro. Esta é, aliás, uma das tremendas vantagens competitivas dos empresários portugueses na Europa e no mundo. O segredo é a alma do (fraco) negócio deles.