Certamente!

Paulo Querido. Na Internet desde 1989

20 de setembro de 2004

Crónica social do jantar

Há quem blogue para ter leitores. Quem blogue para escrever o que lhe vai na alma. Quem o faça por exercício de escrita. Quem tenha um projecto editorial e quem simplesmente descreva o seu dia a dia. Quem use o blogue para agit-prop. Os que escrevem nos blogues porque não aparecem nas colunas sociais e têm pena. Quem blogue para manter um registo do seu arquivo pessoal. Quem tenha pretensões e quem não tenha. Enfim, bloga-se por uma miríade de razões. O Zecatelhado bloga por algumas destas também. Mas sobretudo para fazer e/ou manter amizades. Não espanta portanto que o seu jantar tenha sido o sucesso que foi. E deu para descobrir várias coisas sobre as pessoas por detrás dos blogues. Aqui se conta o que nunca se contou antes sobre elas.

O Zecatelhado é um bacano, ponto final parágrafo. Só tem um defeito: Não bebe alcool. Mas parece que não precisa: é bem disposto por natureza.

O OrCa é melhor poeta que o Zecatelhado. Embora um pouco teatral demais a ler o seu poema, mas tem boa voz e boa figura (e um t-shirt fixe).

Ficou sentado em frente à lique, uma das últimas estrelas a mudar-se para o weblog.com.pt. O nome do blogue da lique só pode resultar de algum temor relacionado com a menopausa: a verdade é que aquela mulher ainda não entrou nos 50, isso posso eu garantir! Gostava de ter conversado mais com ela para desfazer a dúvida. Primeira aproximação: 46 anos.

O Luís estava um bocado a dar para o sorumbático mas disfarçou bem. E o Borba animou-o menos do que o costume.

Sempre alentejano da melhor cêpa, como o Borba, o Francisco sentou-se ao lado do Luís e passou o jantar a dizer as suas mordacidades habituais. Tem uma inteligência rápida. Nem sempre percebo as piadas dele, é um facto, mas o defeito deve ser dos meus ouvidos. Eis um caso gritante de um blogger que merecia mais destaque do que aquele que lhe dão.

Quem deu bem no Borba foi o Golfinhu. Também, pudera… Ficasse sentado em frente à Roxy e também precisaria dessa coragem suplementar. O “miúdo” (bahahah!) esteve bem, com humor, socializou e tal e, inspirado pela divina musa (já vamos à divinal Roxy), até escreveu um poema. Um bocado Jim Morrison — o que o chateou porque ele gosta é dos U2.

A Roxy… Meus amigos! Como descrever? Bem: não é a miúda de 18, 20 anos bem vividos que a leitura do blogue sugere. Não. Terá mais uma meia dúzia deles. No máximo uns 28. Correcção: uns lindos 28. Um bom pedaço de mau caminho, como diria a Vitriólica no seu antigamente. O mais novo dos presentes, o bem disposto Francisco, ficou cheio de ciúmes do Golfinhu; ela parecia firmemente decidida a comê-lo, com Borba ou sem Borba! Espero que nos conte, no seu jeito de cronista depravada, como acabou a noite nas Docas (ou depois delas).

Noutro andamento, a maria é menos vistosa mas não menos interessante. Tal como com a lique tive pena de ter falado tão pouco com elas. Espero que haja mais jantares.

E en passant uma nota destinada aos arquivos da blogosfera: diz-se que a blogosfera é um sítio com mais homens que mulheres. Talvez seja. Mas que tem mulheres lindas, tem. Basta olhar para as fotos do jantar para perceber que “eles”, a começar pela barriga do Zecatelhado e a acabar no meu proeminente nariz, são ao contrário delas uns feiosos.

Outro borrachinho, a Jacky (não tenho linques; ela tem uma mão-cheia de blogues) veio do Porto e estava cheia de andamento pró pós-jantar… Ainda tentou convencer-nos, a mim, ao Luís e à Vitriolica, a “irmos pá night mas eu tinha outros planos… e era eu que conduzia (fiquem descansados: não bebi nem uma imperial; cumpri uma promessa).

A Vitriolica em boa hora apareceu, apesar de não estar inscrita. Foi um verdadeiro comeback à blogosfera depois de meses de ausência. Em boa hora. Ficou sentada em frente ao MG, que é assim uma espécie de afilhado dela, e ao lado da maria. Deixou o segundo prato a meio, como é hábito dela: fala, fala, fala, fala e até se esquece de mastigar. Deve ser por isso que é tão magrinha.

Duas notas finais prós anais da blogosfera. Primeira: a média de idades dos presente no encontro indicia que os bloggers são mais, hu, “antigos” do que geralmente se pensa mas não é verdade; há chavalada a dar com um pau, mas a chavalada é mais dada, especialmente num sábado à noite, a curtições que a repastos. Os, hu, “antigos” é que gostam destes prazeres sociais à volta da boa comida e bebida. E têm esta necessidade de se verem fisicamente, coisa que os chavalos não têm: já levam a sua conta de jantares do irc e tal.

Segunda: provou-se mais uma vez que os bloggers são de todas as classes sociais e tiragens educativas e políticas e modas. Do cripto-fascista ao comuna empedernido. Da tia da Linha ao proleta. Embora o jeans+tshirt predomine, com a variante jeans+camisa.para.fora, também os havia de fato e gravata e de vestido aprumado. Isto embora tenha notado uma tendência para as classes médias.

E pronto. Se me lembrar de mais coisas depois aviso. Um abraço.