Certamente!

Paulo Querido. Na Internet desde 1989

20 de agosto de 2005

Da felicidade palpável

Levaram os filhos ao centro comercial. Depois foram jantar. Trocaram um jantar romântico junto ao rio por um bife rápido porque havia trabalho para fazer e em breve, passada a tormenta dos prazos de edição, terão noites cálidas para a partilha de manjares.

O destino traiu-lhes os planos, como vem sendo hábito. Entre o café e a conta, uma conversa espontânea sobre a evolução das línguas ocupou o espaço e o tempo, deixando-os a namoriscar a vida, juntos.

Nas suas costas, ignorando a lua avermelhada a subir aos céus, o servidor de correio divertia-se enviando-lhes o correio amoroso da directoria de um para a directoria do outro. Muito acertadamente, como se comprova, as cartas falavam da felicidade palpável.