Certamente!

Paulo Querido. Na Internet desde 1989

29 de dezembro de 2005

Declaração de interesse (act.)

DECLARAÇÃO DE INTERESSE (act.). No Expresso de amanhã, sexta, caderno Vidas, sai um artigo em formato de reportagem sobre alguns aspectos do website da candidatura de Cavaco Silva à presidência. A reportagem foi efectuada porque eu, enquanto jornalista, entendi que o assunto em causa, e que nela é noticiado com a desenvoltura possível dadas as limitações de espaço e de tempo, era do interesse do público do meu jornal. Os meus editores concordaram que o tema era notícia do interesse do público do Expresso e publicaram a reportagem. Para que fique claro: as minhas convicções pessoais acerca do candidato não mudaram e neste blog (ou noutro, ou até um ocasiões diferentes) escreverei sobre a candidatura o que penso em termos politico-sociais — e isto não me impedirá de escrever, com os distanciamento e independência recomendáveis e exigíveis a um jornalista profissional, sobre acções do candidato que no meu entender, ou no entender das minhas chefias profissionais, sejam matéria noticiosa. A matéria em causa respeita a um direito fundamental que é repetidamente sonegado a uma minoria; uma vez que essa minoria é, para usar uma expressão de que Pedro Mexia gosta particularmente, pouco “sexy”, raramente, ou nunca, é objecto do interesse dos media, sejam os convencionais, sejam os que actualmente se entendem virtuosos por não-convencionais (?). Fica declarado.

ACTUALIZAÇÃO: Diogo Vasconcelos (que é ouvido para a supracitada reportagem) escreveu no Mandatário Digital este texto que recomendo.