Certamente!

Paulo Querido. Na Internet desde 1989

4 de maio de 2007

Expresso online renovado e… aberto

O Expresso online abre amanhã a totalidade da edição em papel. «É o jornal exactamente com o look&feel do título em banca. O utilizador tem uma página do jornal que vai folheando» frisou o meu editor, Miguel Martins à Meios & Publicidade.

O lançamento do E-xpresso marca o início do endereço premium do semanário (expresso.pt/premium), onde poderão depois ser publicados outros conteúdos pagos. Espera-se o acesso ao arquivo do jornal desde 1997 e a possibilidade dos assinantes «terem acesso antecipado a alguns cadernos do jornal», uma opção à qual sou totalmente favorável.

Durante duas semanas, o E-xpresso estará aberto para consulta dos utilizadores de forma gratuita.

Ao contrário do que fizeram, um pouco apressadamente, outros jornais, penso que o caminho do Expresso é coerente. A opção por uma edição fechada, há anos, foi na altura considerada errada por muita gente, e eu próprio não era defensor dela. Mas uma vez que a opção recaiu por esse caminho, há que encontrar outras soluções (como as agora apresentadas a público) para apresentar alternativas credíveis. Na verdade, não sou defensor de simplesmente abrir. Seria cometer um erro em cima de outro. Dentro da coerência é possível encontrar soluções. O acesso antecipado dos assinantes aos cadernos, que vão fechando ao longo da semana, é uma boa ideia (que secundei) e outra que, penso, estará ainda em estudo (e eu veria com bons olhos) é a edição papel ser aberta, na totalidade ou em parte, a meio da semana seguinte.

Mais que as receitas das assinaturas online — e o Expresso têm-nas e não são negligenciáveis — considero que o respeito por esses assinantes é fundamental.