Certamente!

Paulo Querido. Na Internet desde 1989

6 de setembro de 2004

Finalmente posso inscrever-me nalguma coisa!

Faço parte de várias minorias e de algumas maiorias também, como qualquer cidadão. Porém, nunca até ontem senti vontade de me inscrever nalguma associação/partido/organização que defendesse causas que eu considere socialmente defensáveis. Pessoalmente, entenda-se.

Até ontem. Porque ontem li uma notícia no Público que me fez sentir vontade de participar. No sábado foi decidida a criação da União Ateísta Portuguesa (UAP).

250.000 portugueses — uma minoria de um quarto de milhão, ou 2,5 % da população — declararam-se sem religião no último censo (2001). Uma minoria vítima das maiorias religiosas, com a igreja de Roma à cabeça. Como recordou Luís Mateus da Associação República e Laicidade em Portugal «os ateus ou ateístas são discriminados, são cidadãos de terceira».

Não pensem contudo que é apenas mais uma causa de minorias. O que está em jogo é o próprio Estado e o seu concubinato adúltero com a Santa Sé. Não é de admirar que os cristãos encolham os ombros perante um Estado submisso à igreja católica. Não é de admirar que as religiões minoritárias, do Hinduísmo ao Islão, não façam barulho, evoluindo nos intervalos da Cruzada católica que desde 1500 continua em curso no país, embora agora sem bandeira hasteada nos navios.

Haja alguem com coragem. Ateus, ateístas e agnósticos nada têm a perder em enfrentar social e politicamente os poderes religiosos. Afinal, não representamos um perigo no sentido em que qualquer religião o é por definição. Não querem os ateístas impôr um código religioso ou não-religioso a ninguém. Não travam guerras “santas” nem batalhas contra os “cães infiéis”. Não matam, não pilham, não queimam nem sacrificam em nome de um deus ou de uma catrefada deles.

Apenas defendem a justiça social TAMBÉM para os não-crentes e querem ajudar o Estado a tornar-se menos dependente dos grupos de pressão católicos. Estou nessa. Quero ajudar como puder. Já enviei mail para onde pude mas como não confio nem em sites no Geocities nem em correios do Yahoo, se algum dos meus leitores souber onde me inscrevo, avise.