Certamente!

Paulo Querido. Na Internet desde 1989

7 de outubro de 2004

Golfinho e a censura

Golfinho, um dos mais polémicos (no sentido do homem, não do autor) bloggers cá do burgo, em pleno exercício do direito à liberdade de expressão escreveu que é preciso defender «aqui» a democracia e a liberdade, que considera ameaçadas. Para tanto exorta os seus leitores a votaram não à criação da figura de provedor do weblog.com.pt. O post dele tem o inspirado e sugestivo título Venha de lá a censura, nós aguentamos com tudo.

Como raio conseguem, Golfinho e seus seguidores, achar que um provedor é um censor é algo que me escapa por completo. Amigos leitores, a caixa de comentários é vossa, elucidem-me: como é que um provedor é um censor? Deverei eu, como leitor assíduo do Record e do Público, escrever cartas aos respectivos directores pedindo que acabem com os respectivos provedores, que não passam afinal de censores?

Na minha absoluta ignorância sobre os meandros da liberdade de expressão e da censura — ignorância esta que, estarrecido, acabo de descobrir — nem me atrevo a apelar ao voto no sim… Ainda fico mal visto…