Certamente!

Paulo Querido. Na Internet desde 1989

10 de dezembro de 2005

Irracionalidade

IRRACIONALIDADE. Segundo os apoiantes de um dos candidatos, é um disparate termos debates, campanhas, e até o acto eleitoral propriamente dito. Defendem, impacientemente, que «o povo português já escolheu» e com tiques desprezam a democracia. Para esses enfastiados, tudo isto é uma tremenda chatice. É a terceira vez que se apresentam a uma eleição destas munidos de irracionalidade. Temo bem que lhes venha a acontecer o mesmo que das duas anteriores.

Mas alguém acreditava que Freitas perderia para o desacreditado Soares, que partiu com menos intenções de voto que Jerónimo dos tempos correntes?

Mas alguém acreditava que uma figura de segundo plano, como Jorge Sampaio, um discreto autarca “sem obra”, derrotasse o super hiper ultra primeiro ministro jubilado Cavaco Silva?

Pois. A irracionalidade não ajuda.