Certamente!

Paulo Querido. Na Internet desde 1989

24 de setembro de 2006

Jules Schmalzigaug

Fiquei surpreendido. Não esperava que um museu em Bruxelas me proporcionasse tantas emoções e descobertas. Afinal não estamos em Paris ou Londres e Bruxelas, não sendo de todo periférica, também não é o centro da Europa. O Koninklijke Musea voor Schone Kusten van België, Museu real das belas artes da Bélgica, não tem a riqueza de um Louvre mas possui colecções equilibradas. Vimos sobretudo a pintura dos séculos XV e XVI, XIX e XX, passando em claro (tempus fugit) os que a Ana já me tinha dado a conhecer melhor noutras paragens. Pena os Magritte andarem quase todos emprestados pelo mundo… Consolámo-nos com obra extensa de um dos pintores favoritos da Ana, Paul Delvaux. Antes passei largos minutos a contemplar um dos mais impressionantes Bosch, mas isso fica para outro post.

Deixo-vos com uma fotografia minha de péssima qualidade, porque não encontrei nenhuma reprodução melhor, do quadro “barão Francis Delbeke”, um retrato de Jules Schmalzigaug, pintor que não conhecia. A fotografia é quase “assassina”… O quadro é um tratado sobre a luz. É luz por todos os lados. Tudo é luz, dos óculos do barão aos reflexos na secretária. Um quadro assim é raro.

jules_schmalzigaug_francis_delbeke.jpg