Certamente!

Paulo Querido. Na Internet desde 1989

8 de março de 2007

Marketing viral: bem ou mal? Nem bem nem mal, marketing viral

António Dias, do recente e promissor Marketing de busca, não foi o único mas foi quem mais se distinguiu (na minha modesta opinião, tenho o cuidado de acrescentar para os tais dois ou três leitores tão anónimos quanto susceptíveis às minhas afirmações) com a história da campanha da Vodafone que usa uma técnica recente e amplamente discutida de de marketing viral, o flog.

Em e agora, Vodafone? tem uma votação elucidativa e sobretudo um texto equilibrado e bons comentários — incluindo uma reacção “não oficial” (ou será não-oficial? ou “oficial”?) da empresa. Tenho para mim que é um exemplo clássico de um recurso recorrente na publicidade (e entre as altas cavalarias da blogosfera portuguesa também): não importa o que dizem, desde que me dêem importância.

Bem, neste momento há um copy (ou mais) altamente sorridente. O texto bateu na mouche e em breve alguém será promovido na secção de marketing viral da respectiva empresa de publicidade, se esta existir, e se não existir será criada. Justamente.

(E consigo ouvir certas cabeças a abanar, tsc tsc, a blogosfera está perdida. Welcome to reality.)