Certamente!

Paulo Querido. Na Internet desde 1989

7 de outubro de 2006

Miguel e o Benfica

O benfiquistas costumam gozar os sportinguistas por o clube soltar os jovens leões cedo demais, perdendo com isso MUITO dinheiro. E gabam-se de, eles sim, terem uma secção de exportação bem sucedida.

Talvez fosse assim.

Mas já não é. Bem fresco na memória, o caso Miguel é a prova. O interesse do Real Madrid chega a pouco mais de um ano do jogador ter saído da Luz de mal com os dirigentes, que lhe queriam cortar as asas e o amesquinharam. Conseguiram durante algum tempo, em que Miguel penou. Mas soube esperar. 18 meses de titularidade no Valência e na selecção nacional são o orgulho desportivo. Agora, o financeiro: a cotação de Miguel duplicou — e isto numa altura em que a avaliação do mercado dos artistas da bola produz resultados mais coerentes que nos últimos 20 ou 30 anos.

Cada clube tem o seu Futre, o seu Figo. O seu Miguel…