Certamente!

Paulo Querido. Na Internet desde 1989

26 de outubro de 2005

No céu de pintores

NO CÉU DE PINTORES. A esposa cumpriu com o que sabia ser um desejo dele, marimbou-se nas convenções e pediu apoio aos irmãos. Fomos a correr buscar um toca-cds e um apressado punhado dos clássicos que tanto lhe agradavam. Foi a primeira vez que ouvi música num velório. Para mim era o que faltava naquele quadro. Fez absoluto sentido para todos os que o conheceram, sobretudo para quem o ouviu cantar. Depois “vi-o”. No céu de pintores com que o sol ontem nos foi deixando o horizonte. Não falámos, mas tinha todo o ar de ter apreciado o gesto e a música.