Certamente!

Paulo Querido. Na Internet desde 1989

13 de abril de 2007

O "caso" Sócrates é um falso "caso". Está em questão, rigorosamente, quê?

«Ser engenheiro, doutor, arquitecto é muito mais importante do que ser competente, eficaz, íntegro e digno.»

«O “caso” Sócrates é um falso “caso”. Está em questão, rigorosamente, quê? Ele mentiu, omitiu, dissimulou ou deixou passar? Que reais responsabilidades tem a Universidade Independente, nesta proliferante trapalhada? E, afinal, quem tramou José Sócrates: ele a si próprio, ou outrem por negligência ou servilismo? Se se esquadrinhar os currículos de todos os “políticos” encontrar-se-á, certamente, amplos motivos de espanto e, até, de decepção.»

«Se desconfiamos de Sócrates temos todo o direito de desconfiar daqueles que de ele desconfiam, de modo tão obsidiante. A arfante diligência com que jornais e televisões (não todos, não todas) desancam o homem – dá que pensar. E a vida ensinou-nos que nada acontece por banal prolongamento do acaso»

Francamente recomendável: Baptista Bastos, Ser ou não ser engenheiro, no Jornal de Negócios. Negritos meus.