Certamente!

Paulo Querido. Na Internet desde 1989

5 de dezembro de 2005

O debate (3)

O DEBATE (3). Já percebi que sou o único. A achar que o debate foi altamente esclarecedor sobre os dois candidatos, as suas reais hipóteses e o seu real valor quanto ao que está em questão: a eleição presidencial. Fiquei a saber que Cavaco tem estofo e estrutura para aguentar a inevitável descida das intenções de voto, estando a fazer uns lúcidos possíveis para minorar o efeito. Fiquei a saber que Alegre está consciente do seu segundo lugar na “corrida” e está muito honradamente a tentar capitalizar a inevitável subida nas intenções de voto na sua pessoa.

Francamente, fiquei bastante satisfeito com o debate. Considero-me bastante mais esclarecido do que ao ler o noticiário de agenda a que Soares submete a imprensa, conhecedor como é da lógica das audiências comandada pelo soundbyte. Talvez porque, ao contrário de muita gente, não estou à espera de ouvir estes homens, que conheço há 30 anos, dizer quem são e o que defendem. Espero apenas perceber qual deles está mais apto para o cargo.

Este debate mostrou claramente quais são os dois candidatos que devem passar à segunda volta. Depois? Com ilusões, Alegre, 52% – Cavaco, 48 %. Sem ilusões, Cavaco 65 % – Alegre, 35%. O resto é folclore. Para a terceira idade ou para a miudagem – mas folclore.