Certamente!

Paulo Querido. Na Internet desde 1989

2 de outubro de 2005

O fim DESTE blogue

Queridos leitores: este blogue chega neste momento ao fim. Depois de 30 meses, 1.172 entradas, 4.874 comentários, 447 trackbacks e 644.000 unique visitors. Chega ao fim por esgotamento da fórmula inicial. Hoje disponho de outras ferramentas para manter em linha, acessíveis só aos meus olhos, aos olhos de quem quero ou aos olhos em geral (dependendo dos graus de acesso), as memórias, os links, os documentos e serviços de que preciso pessoalmente ou necessito partilhar. Por isso vou descontinuar este blogue.

Mas certamente que sim começou por ser (o vento lá fora)*. Mudou de nome (acontecimento RARO na blogosfera) e evoluiu o desígnio, amolecendo-se o empedernido até ficar derretido. Mudança e evolução deveram-se à alteração do meu estado afectivo, que passou de cinzento a cintilante na noite de 26 de Novembro de 2004. Do ponto de vista tecnológico foi-se esvaziando de propósito. Manteve-se actualizado (irregularmente) enquanto foi dando. Ultimamente, a pressão da labuta diária intensificou-se e o tempo para este blogue rareia. Já antes quis fechá-lo, mas nunca se proporcionou.

Agora proporcionou-se. Uma nova plataforma (Movable Type 3.2) no weblog.com.pt, um novo rumo que se prepara para esse projecto, a procura de novos inputs financeiros. E também um forte desejo de mudança, porque as fórmulas gastas devem ceder lugar a novas experimentações.

No mesmo endereço, que é um endereço pessoal e intransmissível, surgirá um dia destes um novo blogue. Do velho (este) manterá quatro coisas: o endereço, mas certamente que o nome, a fotografia de um papagaio azul (que tem uma história involuntária que um dia talvez seja contada) e a autoria.

Tudo o mais será diferente. O objectivo, o propósito, o grafismo, as secções, o estilo, o ritmo de publicação, a língua.

A quantos me leram, comentaram e acarinharam com palavras de entusiasmo e também de crítica construtiva (o que exclui naturalmente JM e outros “liberais”, e um tal de RAF para citar apenas o último caso de desonestidade intelectual rastreado, ver comentários deste post), aqui fica o meu agradecimento com uma ponta de emoção. Os arquivos manterão on line por mais anos (muitos, espero) as nossas “conversas” neste local.

Os comentários e trackbacks foram desligados por um motivo óbvio: não dar lugar às costumeiras mensagens de volta, regressa, etc com que os amabilíssimos leitores têm o hábito de nos dizer quanto gostam de nós. Não vale a pena. Este derradeiro post diz tudo o que há a dizer.

Este blogue acaba aqui.