Certamente!

Paulo Querido. Na Internet desde 1989

19 de maio de 2007

O lego mediático

O lego mediático é o título da minha peça deste sábado no Expresso online. Uma peça que me deu satisfação especial, adivinhe o leitor porquê. Eis um aperitivo.

Tim-Berners Lee e o pessoal da O’Reilly já falam da web 3.0, ou semântica, mas esqueceram que o actual paradigma da partilha tem ainda muito para dar. Nomeadamente, a partilha de aplicações, ou programas. Numa recente palestra em que participei, no final um dos alunos pediu à mesa “espaço para programar”, referindo-se a uma conta num servidor que lhe dê acesso a linguagens como PHP e Perl. Confinados a websites de serviços onde nada podem fazer além de despejar palavras e videos, por muito criativo que isso pareça não é suficiente para todos os jovens; alguns querem acesso aos bastidores onde se desenrola outro tipo de criatividade, a que faz funcionar as coisas. No ensino básico simplesmente não há acesso à verdadeira máquina, apenas ao desktop, uma janela muito limitada em termos de potencial criativo. Nas universidades esse acesso existe, claro está, mas é ainda limitado aos cursos de informática — e a programação é, evidentemente, demasiado preciosa para ser deixada nas mãos dos informáticos. (Ler o resto aqui)