Certamente!

Paulo Querido. Na Internet desde 1989

24 de dezembro de 2004

O operário do amor

O amor é uma construção, pensou ele, até o mais perfeito dos desenhos arquitectados na prancheta do destino acaba por revelar as suas imperfeições no momento em que, juntos, empilhamos os tijolos erguendo as paredes em cima de alicerces embutidos na rocha do passado. Guardou o pensamento a sete chaves, jogou-as fora a perder de vista e com afinco (e alterações de pormenor ao desenho) regressou ao estaleiro.