Certamente!

Paulo Querido. Na Internet desde 1989

7 de outubro de 2004

O provedor e o GolfinhU

Golfinho escreveu um texto notável sobre o Provedor do weblog.com.pt. Notável pela forma como é capaz de retorcer as palavras dos outros, quando não mesmo inventá-las. No primeiro caso (retorcer) a formulação da sondagem no weblog.com.pt, que tem cinco opções. No segundo caso (inventar), frases ou discursos que eu nunca tive.

No meu blogue e até hoje nunca escrevi sobre provedores de alguma forma ligados à Internet. A única menção ao termo é num artigo sobre a credibilidade das fontes (aqui) em que menciono o provedor do jornal diário Público.

No weblog.com.pt escrevi a 7 de Junho deste ano o seguinte:

«O weblog.com.pt não passa de (mais) uma plataforma de alojamento de conteúdos em Português (sem subsídios estatais, note-se, nem qualquer dependência de organismos públicos).

Eu não sou juiz. Eu não sou O Grande Educador Das Massas Malcriadas. Eu não sou árbitro nem provedor dos bloggers — embora ande a pensar desde há algum tempo que essa figura deveria existir e tenciono um dia ter pelo menos o provedor do weblog.com.pt.» (link).

Num primeiro comentário a esse texto, comentário em que apelava a que eu desse segurança aos utentes do weblog.com.pt Golfinho deu desde logo a interpretação DELE: «Presumo que seja “ser” :) ». No lugar de “ter”.

Nem lhe respondi na altura. Não cabe na minha cabeça, nem na cabeça de ninguém, que eu pudesse sr o provedor dos meus próprios clientes e utilizadores… Mas na cabeça dele a frase ficou e com ela a ideia, que agora volta à superfície da mente dele como se fosse verdade suprema: eu quero ser o provedor da blogosfera!… {risota geral}

Zé, pá, foste um bocado longe demais ;)

Agora as respostas.

«1. como é possível o weblog.com.pt propôr-se a ser o provedor de toda a blogosfera?»

O weblog.com.pt não se propôs a coisa alguma: fez uma sondagem para avaliar se a comunidade está interessada, nesta altura delicada da vida da blogosfera, em ter um provedor e se esse provedor deverá investigar casos exclusivamente dentro do weblog.com.pt ou se poderá receber, avaliar e pronunciar-se sobre casos de fora.

«2. um provedor para que blogosfera? a nacional? qual? hás tantos servidores!»

O termo blogosfera é aplicado comummente ao conjunto de blogues em Língua Portuguesa. Nalgumas situações também se aplica ao conjunto dos blogues, ponto. Os blogues de Língua Portuguesa são um sub-conjunto do conjunto blogues. No contexto a interpetação do termo só pode ser uma: refere-se aos blogues de Língua Portuguesa. O servidor onde residam é irrelevante.

«3. Para os newbies que andam aqui, o pTd, a propósito de uma antiga flame, escreveu um post em que expressamente referia que iria criar um provedor para o weblog.com.pt, e nesta altura o sr. AFIXE já cá estava!»

É mentira. Nunca escrevi tal coisa. Escrevi o que citei acima: há tempos que penso nisso e tenciono um dia criar o cargo, ou figura, do provedor do weblog.com.pt. De uma manifestação de intenções a «referir expressamente» vai um grande passo. Pelo menos na MINHA Língua.

«4. leiam-se as opiniões do pTd sobre a internet, os blogs assim como a internet nunca acabarão e nunca nunca o seu conteúdo poderá ser controlado por completo, isso é impossível, há tantos servidores por aí. A entrada de um provedor seria absurda e desnecessária quando o próprio pTd remete para a legislação nacional e da UE, e lá está expresso que em casos de conflito cabe à ANACOM dirimir esses conflitos. Já o fiz uma vez.»

Então dirigeste-te ao sítio errado. A ANACOM é um orgão regulador. Tem por objecto a regulação, supervisão e representação do sector das comunicações. Vai ler O que é a ANACOM. Se te quiseres queixar do teu fornecedor de Internet, telefonia ou CTT, tudo bem. Se te quiseres queixar do vizinho que te insultou, vão ouvir-te com compreensão (se estiver lá alguem bem disposto e sem nada que fazer) e that’s all. Os conflitos são dirimidos na sede própria: os tribunais.

A função de um provedor não é equiparável à de juíz ou de tribunal.

Olha os media: existe (ainda… está para ser extinta) uma Alta Autoridade para a Comunicação Social e isso não substitui ou anula os cargos de provedor dos leitores que vários jornais, do Record ao Público passando pelo DN, criaram.

[Um parêntesis: a Telecom tem o seu próprio provedor do cliente. A isso foi levada pelas forças do mercado. Contudo esqueçam-no: nem o endereço oficial responde, nem ninguém se incomoda com isso. Da PT espera-se tudo excepto sensatez para com os clientes.]

Em resumo: ao contrário do que possam concluir o TEUS leitores, eu não considero nem absurda nem desnecessária a “entrada” de um provedor para a blogosfera e / ou para o weblog.com.pt. Pelo contrário: faz sentido, era bem vinda e pessoalmente considero-a necessária, razão pela qual lancei uma consulta ás massas no sentido de apurar se vale a pena mexer-me nersse sentido, no que à comunidade weblog.com.pt toca.

Por “mexer-me nesse sentido” deves ler — aviso já para não me interpretares mal ;) — fazer contactos com pessoas de reputação, conhecimento e independência capazes da função. Como é natural não divulgarei publicamente quais, se e quando tais contactos foram / forem feitos e muito menos os seus resultados. Acho desnecessário explicar porquê.

«5. mais um órgao ou titular burocrático a ser criado!»

Descansa: não pesa no Orçamento Geral do Estado, não cobrarei “impostos” nem “selos”. Burocrático? Como e porquê?

«6. se o que aconteceu foi que o pTd mudou de opinião relativamente aquilo que escreveu, ou fui eu que intrepretei as suas afirmações de forma incorrecta peço desculpa, mas num post, e nas condiçoes gerais onde está expresso que as condições de utilização do weblog.com.pt estão sujeitas à legislação nacional e da UE, isso significa que a moderação destes casos cabe em 1º lugar, em pré-litígio, como já sucedeu comigo, à ANACOM. A ANACOM já é o Provedor da blogosfera!».

Não mudei uma vírgula na minha opinião sobre a matéria. Os últimos acontecimentos apenas me fizeram acelerar um processo que estava adormecido à espera de melhores dias. Chegaram.

As condições de utilização do weblog.com.pt nada têm a ver com a figura do provedor. Um provedor não actua em litígios. Avalia, aconselha e recomenda. Fornece orientações gerais e não leis.

O teu bonito post teve o condão de provocar um aumento dos “nãos” na votação. Conseguiste intoxicar os leitores com essa da censura. Caramba, ó Zé, onde é que um provedor contribui um nico que seja para a censura?? Explicas-me? Tens a certeza que sabes o que é censura?

Um abraço para ti e olha lá, isto não é uma flame: estou apenas a exercer civilizadamente o meu direito de resposta e a esclarecr os leitores até porque puseste nos meus dedos palavas que nunca escrevi. Escusas de reagir como o professor Marcelo!