Certamente!

Paulo Querido. Na Internet desde 1989

28 de abril de 2007

O ZX Spectrum aqui e no Expresso

«Em Abril de 1982 Sir Clive Sinclair lançava o ZX Spectrum, marcando na Europa o início da era da informática pessoal, que continuamos a viver. Os seus 48 KB de memória eram um festim para os entusiastas…». Começa assim o meu artigo desta semana no blogue Web 2.0 do Expresso online, dedicado ao primeiro computador de massas que se vendeu na Europa.

Eu, como centenas de milhar de jovens, joguei no Spectrum, iniciei-me na programação no Spectrum e a programar no Spectrum aprendi que há mais de uma maneira de fazer as coisas. Disto e da minha relação com a máquina que abriu horizontes na década de 1980 se dá conta em ZX Spectrum: a revolução começou há 25 anos.

Mais um aperitivo: «O programa era forte e feio. Como os dados eram muitos (dez divisões com 18 equipas cada) e a memória da máquina muito limitada (48 KB), na primeira versão a solução era carregar a memória em blocos: a primeira e segunda divisões num bloco, a terceira divisão em dois blocos. O que esta limitação nos irritava! Até que o E. resolveu o problema. Cada byte do Spectrum era composto de oito bits, o que era um manifesto desperdício pois que cada resultado de uma equipa ocupava nunca mais de quatro bits (não nos macemos com detalhes: era preciso uma equipa marcar 100 golos para o nosso esquema falhar). Criámos uma rotina que “partia os bytes ao meio”, quatro bits para cada equipa, e… reduzimos o carregamento para um único LOAD “”.»

(Comentários: use a caixa no artigo original)