Certamente!

Paulo Querido. Na Internet desde 1989

9 de janeiro de 2008

Optimus pessimus

Graças ao PubADdict fiquei a saber de quem é a responsabilidade, afinal, da porcaria da mancha cor de laranja que nos últimos dias me fez irritar solenemente e não ler alguns jornais online, a começar pelo Expresso. O péssimo anúncio apresentou-me da pior maneira à nova imagem da Optimus.

Deve ser o anúncio do género mais intrusivo e obstrusivo que jamais vi.

Em regra costumo detestar esta publicidade fortemente intrusiva e acho que não há dinheiro que pague os danos que provoca ao nível da relação entre os jornais e títulos de media e as suas audiências.

Opinião pessoal à parte, a mancha laranja da Optimus apresentava três defeitos capitais.

Primeiro, seguia o cursor para todo o lado — evitando realmente o acompanhamento do que estava escrito nas páginas. Devo dizer que simplesmente parti à procura da informação que pretendia noutros locais e em nenhum caso continuei a ler o jornal que apresentava o anúncio.

Segundo, obrigava o leitor a um grande esforço para se ver livre dele. Eu só descobri como ao fim de várias tentativas, desesperado com uma barreira enigmática entre eu e o meu objectivo. Distraí-me completamente do objectivo, escusado será dizer quem também ficou a perder. Uma marca que leva um potencial contacto ao desespero, não está a passar uma mensagem com eficácia — é o mínimo que posso dizer. Um “X” em fundo transparente?!?

Terceiro, deixava sequelas. Não experimentei exaustivamente com outros browsers / sistemas operativos, mas o meu Firefox em Mac OS X volta e meia ficava de forma que eu não consegui clicar em mais nada na página depois de correr com a porcaria da mancha.

Admito que o Bruno Ribeiro goste da mudança (ele trabalhou na Optimus) e também admito que mais pessoas gostem da nova marca da Optimus. Eu não posso em consciência dizer se gosto ou não: a minha irritação com esta apresentação e seus efeitos sobrepõe-se a qualquer análise, pelo que prefiro aguardar para quando ficar mais calmo.