Certamente!

Paulo Querido. Na Internet desde 1989

18 de dezembro de 2007

Os erros do jornalismo online

O Pedro Fonseca chama-lhe palermice, mas eu acho que pior. É erro. Mesmo. Ele narra o episódio e dá os links de exemplo no Contrafactos & Argumentos (Infelizmente, a palermice no jornalismo online não tem limites), a história resume-se a isto: o Público, seu ex-jornal, cita-o pela negativa num artigo e não o cita noutro (onde teria de ser pela positiva e onde o Pedro é incontornável, uma vez que deu a cacha), enquanto o tek.sapo se fica por uma decisão salomónica ainda pior: cita o jornal com link para a primeira página, mas não para a notícia original, que o jornalista evidentemente leu. Pensem por dez segundos com a cabeça de quem tomou esta opção, ponham-se no seu lugar.

Para mim, o pior desta, destas histórias não é o “afastamento dos media da blogosfera” e o desperdiçar de “oportunidades” para contentar os leitores 2.0. O pior é saber que são jornalistas novos, da geração do hipertexto, que dão estes erros de palmatória, pelas razões pequeninas que se pegam por contágio nas Redacções.

Esperava desta geração que fizesse a ponte.

Vê-se.