Certamente!

Paulo Querido. Na Internet desde 1989

30 de maio de 2006

Os jornais online portugueses são exemplares

Nos EUA o Washington Post, por exemplo, já tem (e publica) informação sobre a sua relação real, nada de paneleirices de opiniões publicadas como se de Grandiosas Verdades se tratassem em blogues duvidosos, com a blogosfera. 1/3 dos referrals do Washingtonpost.com são de blogs (várias fontes, escolhi o Engrenagem porque tem uma versão pessoal acoplada).

Os jornais online portugueses são exemplares a fugir da realidade que os cerca. Um link numa notícia é um luxo raro (incluindo em jornais que nasceram na rede!). O RSS é uma estrondosa inovação já descoberta por alguns e usada sem qualquer preceito ou discernimento, apenas para ter um botão cor de laranja para dizer que são modernos e “distinguirem-se” dos outros. Referrals? Isso são os árbitros de que desporto?!?

Se não forem os mecanismos externos a fazer contas deste tipo… bem podem os investidores e os anunciantes tentar saber quanto vale um título online. Saberão o que uma marktest qualquer lhes enfiar debaixo do nariz ao preço que quiser. É a vida. Podem os caros leitores não acreditar, mas ainda há quem pague 10.000 euros por um website dinâmico que se pode ter, template incluído e MUITO MAIS BONITO, funcional e moderno e com links, RSS, contadores e o diabo, tudo joly e automático e fixe, GRATUITAMENTE em dezenas de alojadores. Há, acreditem em mim.