Certamente!

Paulo Querido. Na Internet desde 1989

5 de julho de 2006

Parabéns aos rapazes

Penso que a equipa de Portugal não fez tudo o que estava ao seu alcance no jogo contra a França. Sei que os franceses são um osso duríssimo de roer, eles aliás mostraram-no e comprovaram-no fazendo um jogo rigorosamente calculista e frio (o tipo de jogo que mais rendeu nesta competição) aproveitando cada milímetro que a sorte dá a uma equipa.

A França que não fez dois remates à baliza de Ricardo.

A França sólida e robusta, assente (tal como Portugal) na experiência dos seus melhores jogadores com carreiras longevas.

A França que merece perder na final contra a única equipa capaz de apresentar um colectivo ainda mais calculista e frio que o seu próprio.

Agora sejamos francos: Deco não rendeu o que pode e sabe, Costinha não devia ter entrado sequer nesta partida depois do que tinha feito e render Pauleta por Postiga aceitava-se se fosse 15 minutos mais cedo.

Depois de dizer o que não me agradou na derrota, que foi isso mesmo, uma derrota, resta-me dar os parabéns aos rapazes. Portugal superou-se, subiu no ranking e na admiração. Quero agradecer por não terem dado hipóteses para mais “vitórias morais”, esses torpedos da dignidade, cápsulas de misericórdia capazes de anestesiar um povo (antes uma derrota que tal sorte). Portugal perdeu um jogo e oiço buzinas lá fora. Menor banzé do que ouviria em caso de vitória, mas buzinas com significado ainda assim.