Certamente!

Paulo Querido. Na Internet desde 1989

7 de outubro de 2005

Pensando melhor

PENSANDO MELHOR. «Acreditas que a maior parte dos escritores de Literatura Juvenil já cobram cachet para irem às escolas?» perguntou-me uma professora do secundário. Eu gritei tão alto que se leu no GoogleTalk todo: WHAT? Depois (lembrando-me das migalhas que sobram para os escritores) achei melhor perguntar: é cachet mesmo, com esnobanço completo, ou mendigam o gasoil e a sopa?

Por pudor omito a conversa e sintetizo: a bandeirada é de 150 euros, não se trata de uma compensação para os transportes pois estávamos a falar de escolas (e autores) na região de Lisboa, é normal as escolas providenciarem algum transporte like estação-escola-estação, e é da praxe oferecem MESMO as migas (o almoço, que alguns recusam por agenda ocupada); além de conversarem com os catraios, geralmente organizam-se sessões de autógrafos e vendas dos livros do autor

Está errado? Algo está errado no sistema de edição em Portugal, a começar pela falta de interesse pela leitura (como podemos cascar nos editores se antes deles já a cena está preta?). Se vai promover a obra, o autor devia ser pago, sim, pelo editor (já ouço os risos, uivos e gargalhadas).

Pensando melhor… Vou continuar a pensar no assunto.