Certamente!

Paulo Querido. Na Internet desde 1989

11 de junho de 2007

Spam com imagens está a baixar

A actividade do spam mantém em geral os níveis observados anteriormente excepto num sub-sector que tem vindo a recuar: o spam com imagens. Em Maio diminuiu 16%, um pouco menos que em Abril (27%) e em Março (37%). No seu pico, em Janeiro, o spam com imagens constituía mais de metade do total mundial — refere a Symantec no seu boletim mensal.

O relatório faz notar, ainda, que as actividades fraudulentas ligadas ao spam aumentaram de 9 % em Março para 13% em Maio.

A saúde e os serviços financeiros estão no topo da lista das categorias de assuntos que os spammers preferem usar.

No meu contacto diário com o spam esta tendência não foi observável, o que nada tem de mais pois é um contacto superficial e não contabilizo as mensagrns, limito-me a tentar seguir os novos padrões. Notei, nomeadamente, que o spam feito por portugueses está a aumentar. Ao que parece, qualquer empresa nacional, bem como os disc-jockeys que abundam em especial fora das malhas urbanas de Lusboa e porto, acham que podem enviar mails para toda a gente e compram as listas mais ou menos conhecidas.

Outra tendência, bem anormal, que detectei nas últimas semanas foi a predilecção destes pelos endereços de remetente no Sapo. Alguns, como o DJ Miguel Rendeiro, são completamente mal-educados: continuam a mandar as mensagens mesmo depois de terem sido avisados de que todo o correio deles é despejado no lixo automaticamente, bem como assinalados os seus endereços como sendo de spammers, o que diminui fortemente as hipóteses de os seus mails passarem.

Começo a acreditar que um dia a batalha do spam poderá ser ganha. Não ao ponto da exterminação da praga, mas pelo menos ao ponto do equilíbrio neste sistema ecológico.