Certamente!

Paulo Querido. Na Internet desde 1989

17 de junho de 2008

Ainda as mulheres e a chincha

A pequena nota sobre as mulheres e a chincha mereceu dois reparos gostosos.

Via Twitter, recebo do João Nogueira (sim, esse!):

psst, sobre mulheres e chincha, nem de propósito: uma das mudanças culturais mais importantes no mundo do futebol a partir dos anos oitenta foi “o impacto de relações sociais importantes, designadamente a nível de relações e papéis homem/mulher: cada vez menos a mulher aceitava ficar em casa ou a «fazer tricô» no carro enquanto o marido «ia à bola»” (João Nuno Coelho e Nina Clara Tiesler, 2006, «O Paradoxo do Jogo Português», Análise Social, Vol.XLI, N179, ‘Futebol Globalizado’: 546). ;)

Aqui por casa, a substituição da incorrecção “ficaram em casa”. Na realidade, não ficaram em casa. Donas das suas próprias carteiras pois que passaram a trabalhar, elas vão, isso sim, enfiar-se no centro comercial a fazer compras. A escolha já não é entre os tachos e panelas e duas horas de tricô ao ar livre. Felizmente para todos nós.