Certamente!

Paulo Querido. Na Internet desde 1989

19 de junho de 2008

Banhos e massagens… E Carlos Manuel

Esta é a hora em que o meu amigo Fernando Soares costumava dizer que entrávamos em banhos e massagens para o jogo. No nosso caso, isto ora representava maior concentracção para o trabalho (quando íamos cobrir o jogo), ora significava confirmar a baixa temperatura das cervejas, e garantir a sua abundância, no frigorífico de ocasião (quando não íamos cobrir o jogo).

(Sim. Banhos e massagens geralmente seguem-se ao jogo, não antes. Mas o Fernando é uma pessoa irónica.)

carlos manuel Sei que o Fernando hoje pensou, ou vai pensar, como eu, no Carlinhos, ou Carlão, conforme a proximidade com o jogador conhecido por Carlos Manuel — o homem que ficou na história por marcar aquele fabuloso golo à então RFA, hoje simplesmente Alemanha, um golo que está em totemica repetição desde ontem à noite nas televisões portuguesas

O Carlos Manuel que fumava um cigarrinho no intervalo, o Carlos Manuel que fez corajosamente de guarda-redes num jogo difícil do Benfica, substituindo se não me engano o mítico Bento, o Carlos Manuel que “esteve” nos incidentes de Saltillo (dolorosos para a sua geração, mas sem os quais não haveria futebol moderno em Portugal, falamos de selecção e de clubes), o Carlos Manuel que ajudou instituições de solidariedade social (esta sabem poucos), o Carlos Manuel que é padrinho de casamento do Fanã da Adega Rocha, outrora o melhor peixe grelhado de Faro (esta ainda sabem menos), o Carlos Manuel que nos deu — a mim e ao Fernando — tantas e tantas entrevistas, quantas delas manchetes.

É sem nenhum desprimor para o resto dos seleccionados dessa histórica fase que isolo aqui a figura do Carlão. Que a sua coragem, espírito de sacrifício e capacidade técnica bem acima da média inspirem e tutelem os seleccionados que hoje sobem ao palco perante a tal Alemanha que Portugal só bateu por 3 vezes.