Certamente!

Paulo Querido. Na Internet desde 1989

22 de dezembro de 2008

João Pinto, o analista

Estou surpreendido. Vejo o programa de rescaldo de futebol no canal público e oiço um João Pinto, analista, muito bem. Nunca pensei — e suponho que a maioria dos portugueses estará tão surpreendida como eu. É a terceira vez que o apanho na função e já andava com vontade de o apreciar directamente, em vez e seguir o programa no seu todo.

Muito seguro a falar. Ideias precisas e claras sobre o jogo. Uma pitada de humor. Assume perfeitamente o seu actual lugar. Parece um homem sereno, de contas feitas com o seu (brilhante) passado de jogador. Não se lhe vê a saudade no olhar nem o paternalismo no discurso. Mesmo ao nível do vocabulário noto uma evolução inesperada — e digo inesperada não por João Pinto em si, com quem tive raro contacto e ainda numa fase inicial da sua carreira, mas pelo conhecimento genérico dos futebolistas que acumulei enquanto jornalista aplicado ao futebol.

É positiva esta migração de agentes do futebol para funções de análise e comentário.