Certamente!

Paulo Querido. Na Internet desde 1989

6 de novembro de 2008

Eleições: a diferença de olhar entre bloggers e jornalistas

Não sendo surpresa que jornais e blogs tratam os assuntos de forma diferente, as eleições americanas foram uma excelente oportunidade para quantificar essa diferença.

Para verificar a diferença de olhar, peguei no conjunto de artigos publicados num e noutro lado ao longo da última semana da campanha americana e contei as ocorrências dos nomes dos candidatos à presidência, bem como dos seus vices — Barack Obama e Joe Biden, John McCain e Sarah Palin; depois, optei por gráficos que dão facilmente a perspectiva das diferenças. Analisei um total de 1.311 artigos, dos quais 596 publicados pelos mainstream media (MSM) e 715 pela blogosfera.

O principal problema foi… descartar as fontes repetidas, nomeadamente os parasitas que copiam o noticiário da imprensa e surgem no Google muitas vezes melhor posicionados que os originais. Evitei também os agregadores, que também não contêm originais.

(Nota: apesar da inspiração gráfica, estas “bolhas” não são diagramas de Venn.)

A primeira conclusão que resulta destes quatro gráficos é a maior atenção dedicada pela blogosfera ao candidato democrata, referenciado praticamente o dobro das vezes. Como se nota no primeiro quadro, os MSM distribuem a sua atenção em doses mais equilibradas que os blogs (segundo quadro).

A segunda conclusão imediata tem a ver com a desproporção de atenção, quando passamos para os vices (abaixo). Quem provoca este desequilíbrio na ordem natural da comunicação?

Sarah Palin. O fenómeno mediático em que a campanha republicana apostou para tentar ganhar uma guerra que parecia perdida. E na verdade Palin levou holofotes à campanha e alento às hostes. Mas o cômputo final do lance far-se-á em função dos resultados. O que esta análise mostra é que Palin impressionou muito mais os jornalistas do que os bloggers.

Paulo Querido, jornalista