Certamente!

Paulo Querido. Na Internet desde 1989

18 de setembro de 2008

Eu traduzo:

“Sinceramente, tenho pena que coisas destas tenham que ser ditas com todas as letras. Mas num momento em que abunda o ruído, a sede de protagonismo, a ambição desregrada, a verdade é que com estas declarações Pedro Passos Coelho mostrou-se senhor de uma postura que vem rareando no PSD: a capacidade de se abstrair das perturbações do momento e de olhar para além do horizonte imediato, distinguindo o essencial do acessório. São estas tomadas de posição que também vão permitindo aos militantes distinguir cada vez melhor quem é essencial e quem é acessório para a vida do partido (Vasco Campilho, O essencial e o acessório)

Eu traduzo:

tudo indica que o PSD vai levar uma ensinadela em 2009 e se não contam com o bem educado Passos Coelho para a agravar, podem contar com ele para o dia seguinte, ai isso é que podem, está ali na escada dos bastidores a pigarrear para aclarar a voz antes de entrar em palco.

E fico a matutar:

que raio lhes terá dado, porque não elegeram logo o líder óbvio? Para quê, a deriva saudosa, esta cedência ao passado da aristocracia de salão que embasbacava a população rural, numa fase em que o país político precisa de figuras modernas com respostas adequadas a uma realidade político-social urbana?